A caçada de quase 10 anos ao terrorista Osama Bin Laden em A Hora Mais Escura confirma aquela afirmação do jornalista Chris Hedges, epígrafada em Guerra ao Terror, de que a guerra é um vício, tanto para os soldados que desarmavam bombas no campo de batalha, quanto para os burocratas engravatados da CIA a espera de ordem e ação. Injustamente acusado de ser pró-tortura e diretamente patriota, o novo filme de Katheryn Bigelow não só é um contraponto ao seu filme anterior, como também um dos retratos mais lúcidos e sem concessões políticas já ficcionalizados sobre o conflito americano no oriente médio.
A Hora Mais Escura (Zero Dark Thirty) - Katheryn Bigelow, Estados Unidos, 2012.
[4/5]

A caçada de quase 10 anos ao terrorista Osama Bin Laden em A Hora Mais Escura confirma aquela afirmação do jornalista Chris Hedges, epígrafada em Guerra ao Terror, de que a guerra é um vício, tanto para os soldados que desarmavam bombas no campo de batalha, quanto para os burocratas engravatados da CIA a espera de ordem e ação. Injustamente acusado de ser pró-tortura e diretamente patriota, o novo filme de Katheryn Bigelow não só é um contraponto ao seu filme anterior, como também um dos retratos mais lúcidos e sem concessões políticas já ficcionalizados sobre o conflito americano no oriente médio.

A Hora Mais Escura (Zero Dark Thirty) - Katheryn Bigelow, Estados Unidos, 2012.

[4/5]